top of page
  • Júlia Lorenzon

Alimentos orgânicos: minha visão

Alimento orgânico é aquele obtido em um sistema orgânico de produção agropecuária ou oriundo de processo extrativista sustentável e não prejudicial ao ecossistema local. É um alimento livre de produtos químicos sintéticos - conhecidos como agrotóxicos (pesticidas e herbicidas).

O Brasil utiliza agrotóxicos em larga escala; ainda somos destino daqueles que não são permitidos em outros países. Este é um problema de décadas que foi agravado abruptamente nos últimos 6 anos, devido à uma série de liberações de uso destes produtos com pouco embasamento técnico científico.


Imagem de: Pesquisa FAPESP (link)


Isto é preocupante, visto que trabalhadores rurais que aplicam agrotóxicos apresentam risco para intoxicações agudas (que podem resultar até mesmo em coma e morte) e crônicas (com sinais e sintomas como irritabilidade, ansiedade, cansaço...) e que o consumo de alimentos contaminados parece contribuir para má formação fetal, problemas neurológicos, câncer, dentre outros.

Muito se escuta que "não temos literatura suficiente para afirmar os malefícos do consumo de agrotóxicos", mas a verdade é que temos uma série de estudos em tecidos e em animais que demonstram o potencial oxidativo, inflamatório e tóxico destas substâncias. Ainda, diversos estudos observacionais em humanos associam a exposição aos agrotóxicos e a prevalência de doenças (como o câncer, por exemplo) e sugerem que quanto maior a exposição, maior o número de casos da doença. Estes estudos tem limitações, visto que não determinam causa e efeito, entretanto o uso de cigarro passou a ser visto com maus olhos a partir de estudos deste tipo, ou seja, estas informações não devem ser desconsideradas.

Estudos mais robustos - ditos padrão ouro - os chamados ensaios clínicos randomizados, utilizados para avaliar efeitos e validar a recomendação de uso de vacinas, medicamentos e outros tratamentos não podem ser aplicados para o uso dos agrotóxicos, visto que isto seria antiético, já que os "estudos de base" (em tecidos, em animais e observacionais em humanos) sugerem efeitos negativos. Nenhum comitê de ética e pesquisa aprovaria um estudo que se propusesse à comparar o efeito de uma dieta orgânica versus uma dieta de agrotóxicos e dificilmente conseguiríamos voluntários para a participação do mesmo... rs!



Diante das informações que temos, minha orientação é: dê preferência aos alimentos orgânicos. Na medida do possível e praticável, seja cuidadoso com este aspecto. Enquanto mudanças políticas e estruturais não resultarem numa redução significativa da exposição da população brasileira à estes produtos tóxicos, faça você a sua parte.

Considere que os agrotóxicos não se limitam às hortaliças e frutas, eles estão presentes nos feijões, nas farinhas (e consequentemente nos pães), nos produtos de origem animal, como carnes, ovos e queijos (visto que os animais são alimentados e vivem em um meio contaminado) e nos alimentos ultraprocessados.

Abaixo, algumas orientações que podem te ajudar a consumir mais alimentos orgânicos:

  • Frequente feiras orgânicas (encontre a mais próxima de você aqui);

Nestes locais, os alimentos tendem a ser mais baratos do que os orgânicos de supermercado. Em Porto Alegre, na Feira orgânica do Bom Fim, você encontra, além de hortaliças e frutas, produtos de soja fermentados, lácteos, ovos... tudo na versão orgânica.

  • Cultive o hábito de cozinhar e marmitar;

Comendo fora (ou pedindo tele-entrega) diariamente fica mais difícil selecionar opções orgânicas. Se você comprar os insumos e preparar, pode escolher o orgânico, os melhores temperos, a melhor gordura, as melhores formas de preparo... os benefícios são muitos!

  • Ao comer fora ou comprar comidas congeladas, opte por aqueles(as) que preconizam o uso de orgânicos;

Algumas marcas, cozinheiros e chefes se propõem a preparar refeições com alimentos orgânicos. Valorize este trabalho! Em Porto Alegre, Urban Farmcy (congelados saudáveis), Raw (restaurante vegano de comida crudívora) e Bendita Horta (restaurante saudável) são exemplos.

  • Priorize comprar na versão orgânica aqueles alimentos (in natura e minimamente processados) que no Brasil apresentam maior contaminação;

Abaixo uma imagem que pode te ajudar:

Imagem adaptada de: Um só planeta (link)

  • E na ordem das prioridades, coloque também aqueles alimentos que você mais consome;

Pães, azeite de oliva e café são exemplos de alimentos que consumo com frequência. Faz mais sentido compra-los na versão orgânica. E por aí, quais seriam?

  • Reduza seu consumo de alimentos ultraprocessados;

Nuggets, salsichas, biscoitos recheados, salgadinhos e etc. das grandes marcas - além de serem fonte de gorduras ruins, excesso de sódio e aditivos - apresentam contaminação por agrotóxicos.

  • Por último: não pire! Não é possível ter este controle sempre e isto é normal. Ter consciência já é um grande passo. Utilize ela para fazer escolhas melhores, em relação àquelas que vem fazendo. Com pequenas mudanças vamos deixando nossa vida (e o planeta) mais saudável!


Conte comigo! :) Com carinho,


Nutricionista Júlia Lorenzon

66 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page